Fernando Cyrino

Caminhando e saboreando a vida.

Textos

O CORDÃO DO MENINO (ec)

O menino e o velho Matias vasculhavam o lixo daqueles prédios luxuosos. Rico sempre joga comida fora, era o que o mendigo dizia. Em um saco mais emporcalhado ainda do que aquela sujeira toda, o garoto deu de cara com o cordão e o grande crucifixo com a pedra encrustada. Mostrou-o, mãos gosmentas, ao velho que atestou, sem nem pegar naquele troço imundo, tratar-se de bijuteria barata, joia falsa. Meteu-o mesmo assim no pescoço. Fim da tarde e o levou ao vazamento do cano, onde tomavam água e banho. Lavou-o sem nem o sacar do peito. Sentia-se um lorde com aquele troço pesado. O inverno naquele ano estava rigoroso e, após uma noite especialmente fria, encontraram-nos abraçados em meio aos papelões. Um jornal noticiou que a cidade estava mais limpa e segura: dois ladrões, fingindo-se de mendigos, haviam morrido naquela madrugada.

Este texto faz parte do Exercício Criativo Joia Falsa. Saiba mais, conheça os outros textos: http://encantodasletras.50webs.com/joiafalsa.htm.
Fernando Cyrino
Enviado por Fernando Cyrino em 23/04/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras