Fernando Cyrino

Caminhando e saboreando a vida.

Textos

ÚLCERA

Na farmácia adquire o rolo de gaze. Passa pelo açougue e compra o bife. Nos fundos do lote vago dobra a calça. Abraça a perna com a carne, envolvendo-a com as tiras. Na praça expõe a ferida. Início da noite visita a Igreja. Pede perdão pela bendita úlcera que lhe dobra o faturamento.
Fernando Cyrino
Enviado por Fernando Cyrino em 06/04/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras