Fernando Cyrino

Caminhando e saboreando a vida.

Textos

A bolsa da mamãe
Quer ganhar algum dinheiro a menina,
mas, vovô que é bom está ausente
e mamãe, já se sabe é bem sovina,
sem a mão na grana ela já se sente.
Vem uma raiva doida e ela imagina
a carteira da sua mãe criando asa,
o dindim, que como ela, é traquina,
escondido no caderno de para casa.
Mamãe já vai sair e procura a bolsa,
mas em nenhum canto ela a encontra,
e a menina, que ninguém nos ouça,
tem medo de ser uma bruxa sinistra.
Papai pergunta: e no meio da louça?
E lá estava enfiada a bolsa de listra.
Ela, de novo fada, em paz repousa.

www.genteplena.com.br
Fernando Cyrino
Enviado por Fernando Cyrino em 17/05/2010
Alterado em 15/10/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras