Fernando Cyrino

Caminhando e saboreando a vida.

Textos


As dificuldades da vida. Cinco pontos para se lidar melhor com a ansiedade e a tristeza

Querida Marcela,
Paz!

Você me escreve contando estar se sentindo angustiada, triste e ansiosa. Estando assim termina por nao conseguir ver maior sentido nas coisas e mesmo na vida. Pergunta-me então: Como deve agir para sair dessas dificuldades?

A nossa vida nunca é plana. Há gente que até sonha em não ter problemas nem dificuldades na existência. São pessoas que vivem na ilusão de que uma vida assim, simples e sem complicações seria ideal. Será que isto é verdade? Acho que pareceria muito mais com o tédio dos cemitérios do que vida na realidade, não é mesmo?

O problema é que ainda que não aconteça em amplas planícies, têm horas que ela dá a impressão de ter se transformado numa imensa montanha russa, subindo e descendo em vertiginosas velocidades, além de nos virar várias vezes de cabeça para baixo.

Nesses tempos quando se olha para frente os olhos parecem ter ficado turvos e não se consegue ver com clareza o caminho. Quando achamos estar fazendo a coisa certa, logo descobrimos que deu tudo errado. A oração vai se tornando fria e Deus dá a impressão de não nos estar escutando. Parece estar dormindo a sono solto. Tudo fica sem sabor, ou pior ainda, se torna azedo. As pessoas parecem ter ficado mais difíceis e mesmo incompreensíveis.

Nessas horas é importante ter consciência que, mesmo vendo tudo escuro, a luz continua existindo. Não é porque há muitas nuvens no céu que o sol nos deixou, ou mesmo tenha deixado de brilhar. Ele continua lá no alto e é muito maior do que as tantas nuvens que podemos estar vendo. 

O que fazer? Proponho a você, querida amiga, cinco pontos para a sua reflexão e, mais ainda, para que possa montar um plano para buscar sentido onde só está enxergando escuridão. Vamos então a eles:

1 – O que você está sentindo se chama desolação. São aqueles momentos em que nos sentimos tristes, angustiados e ansiosos... Estas palavras que você me listou ao escrever o e-mail e mais algumas. Quando nos sentimos desolados é como se tivesse ido embora o chão sobre os nossos pés. Sentimo-nos no vácuo. O contrário da desolação é a consolação. Esta acontece quando estamos alegres, confiantes, abertos, pacientes, pacíficos, calmos... Quando estamos consolados sentimos o chão sob nossos pés. Sentimo-nos “com-solo”.

2 – O que costuma causar a desolação é a nossa incapacidade de gerirs bem as nossas relações, nossos propósitos e a visão de futuro. Perdemo-nos em ansiosas ocupações com o futuro, as tais pré-ocupações e deixamos de nos ocupar com o dia de hoje. Isto gera ansiedade e angústia, eis que não temos como gerenciar o futuro. Só dá para administrarmos o dia de hoje. Saímos melhor da desolação quando deixamos de nos preocupar e passamos a nos ocupar com os problemas reais do momento. “A cada dia a sua ocupação” nos ensinou Jesus.

3 – A desolação acontece porque caímos na tentação de nos achar muito maiores do que somos na realidade e assim acabamos nos arvorando em donos absolutos da vida. Ou mesmo deixando que outras pessoas se tornem os absolutos da nossa vida. Ninguém é capaz, por mais que o amemos, de preencher totalmente o coração. Daí que acabamos nos frustrando com as pessoas (e as frustramos também). Caímos no esquecimento de que só Deus é o absoluto. Tudo o mais é relativo. A desolação é fruto também da pequena confiança que depositamos na misericórdia e ação de Deus em nós e no mundo. O fato é que ao nos arvorarmos em absolutos da nossa vida, terminamos por não deixar que Deus seja Deus em nós. Confiar em Deus é um belo antídoto contra esse mal.

4 – Quando estamos nos sentindo mal, desolados, é hora de investir ainda mais na oração. Será rezando mais que venceremos melhor e mais rápido a esta tentação. Ore mais, ore todo dia, ore sempre. Rezar não significa somente repetir fórmulas. Elas são muito importantes, mas vá além. Faça as suas próprias “fórmulas”, ou seja, se coloque nas mãos de Deus. Conte para Ele o que está sentindo. Suas angústias, tristezas, dúvidas incompreensões... Ele é Pai e saberá te compreender e te confortar. Pergunte para Ele como deverá agir para superar suas dificuldades. Frequente mais os sacramentos, aproveite mais as oportunidades que a vida vai lhe oferecendo, para que esteja mais perto do Senhor da sua vida. Esteja atenta, estas oportunidades acontecem mais do que a gente possa imaginar.

5 – A desolação precisa ser vista também como um tempo de crise. Veja a crise por novos olhos, em novo ângulo. Este é um momento perfeito para que se possa crescer. A crise é a oportunidade que a vida nos oferece para que mudemos, nos transformando em pessoas melhores do que éramos antes dela. Quando não há crises ficamos na zona de conforto e acabamos não nos desenvolvendo como seres humanos chamados à plenitude. O que a crise que está vivendo pode me ensinar? Em que preciso mudar para viver melhor? Tente responder a estas questões. Há muita gente que passa pelas crises sem ter aprendido nada. Ela é momento rico de aprendizado, aproveite então. Mas cuidado, da mesma maneira que a crise é oportunidade de crescimento, ela também pode se tornar mortal. Sim, a crise da desolação pode nos matar metafórica, ou mesmo realmente. Crise é para crescer e não para morrer. Lembre-se sempre disto. Por último, lembre-se que para frente é que se anda. Deus está lhe chamando para o futuro e não para ficar presa à desolação e crise do passado. Deus está sempre adiante nas nossas vidas.


O meu abraço e as minhas orações para que saia logo deste buraco em que se meteu. Sim, a desolação é também um buraco. Conto também com suas orações. Querendo conversar mais, pode me escrever, será legal receber suas notícias,
Fernando.


Fernando Cyrino
Enviado por Fernando Cyrino em 05/01/2012


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras