Fernando Cyrino

Caminhando e saboreando a vida.

Textos

O CORDÃO DO MENINO (ec)

O menino e o velho Matias vasculhavam o lixo daqueles prédios luxuosos. Rico sempre joga comida fora, era o que o mendigo dizia. Em um saco mais emporcalhado ainda do que aquela sujeira toda, o garoto deu de cara com o cordão e o grande crucifixo com a pedra encrustada. Mostrou-o, mãos gosmentas, ao velho que atestou, sem nem pegar naquele troço imundo, tratar-se de bijuteria barata, joia falsa. Meteu-o mesmo assim no pescoço. Fim da tarde e o levou ao vazamento do cano, onde tomavam água e banho. Lavou-o sem nem o sacar do peito. Sentia-se um lorde com aquele troço pesado. O inverno naquele ano estava rigoroso e, após uma noite especialmente fria, encontraram-nos abraçados em meio aos papelões. Um jornal noticiou que a cidade estava mais limpa e segura: dois ladrões, fingindo-se de mendigos, haviam morrido naquela madrugada.

Este texto faz parte do Exercício Criativo Joia Falsa. Saiba mais, conheça os outros textos: http://encantodasletras.50webs.com/joiafalsa.htm.
Fernando Cyrino
Enviado por Fernando Cyrino em 23/04/2018


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras